Motivos para não copiar conteúdo no seu blog

postado em: Notas da RBO | 0

Capa artigo cópia

 

Por André Schetino*

Um dos temas centrais e sempre atual para os blogueiros é a ética na produção de conteúdo. Nesse texto vou falar um pouco sobre um assunto delicado, que está no dia-a-dia de quem produz conteúdo para internet: a cópia de conteúdo (plágio). Vou mostrar a partir de exemplos, por que essa prática é condenável, quais os prejuízos para quem plagia e pra quem é plagiado, e ainda, dar dicas de como abordar em seu blog um conteúdo legal que você viu na internet.

Então vamos nessa!

Cópia de conteúdo (plágio)

Imagine que você fez uma viagem de fim de semana. Uma travessia na montanha, acampando, com vivências de trekking, rapel e escalada. Você volta da viagem com belas fotos, vídeos, e vai transformar essa experiência em um post do seu blog. Digamos que você gaste cerca de 12 horas de trabalho entre digitar os textos, trabalhar as imagens, editar os vídeos e publicar os posts no seu blog. Aí, alguém vê o seu post e também tem um blog. A pessoa gosta do conteúdo e copia integralmente, seja dando o crédito de autoria a você ou até mesmo divulgando como se fosse dele.

A situação acima, além de revoltante, é infelizmente muito comum. Eu já passei e ainda passo por situações semelhantes, e também escuto reclamações de outros amigos blogueiros. Vejamos abaixo a cadeia de prejuízos que esse desvio ético produz:

Prejuízos para o plagiador

Quem copia conteúdo está em primeiro lugar incorrendo em um desvio ético grave, e em muitos casos, também em crime. Se você copia conteúdo, seu site está ganhando visitantes e em alguns casos lucrando com mecanismos de monetização a partir de um conteúdo que você não produziu. Mas além disso, o Google está punindo os sites que adotam essa prática. As punições podem variar da exclusão do conteúdo copiado, até o rebaixamento do site nos mecanismos de busca e, em casos extremos, a sua exclusão.

Prejuízos para a vítima do plágio

Já os prejuízos para a vítima do plágio são bem maiores. Seja o seu blog um hobby ou um meio de vida, ele vive essencialmente dos leitores. Ao ser plagiado, o seu conteúdo deixará de ser lido em seu blog para ser lido em outro site. Isso acarreta em perda de leitores e, em casos de blogs monetizados, em perda de receita com Adsense, parcerias, anunciantes etc. No caso do nosso exemplo do fim de semana na montanha, as 12 horas de trabalho foram levadas por 15 segundos de CTRL C + CTRL V por alguém que sequer esteve com você na viagem.

Um agravante: muitos sites e blogs que já estão se profissionalizando investem na produção de conteúdo, seja em cursos, viagens, materiais e equipamentos ou mesmo remunerando colunistas/jornalistas para a produção de matérias. Nesse caso a conta sai ainda mais cara, pois os gastos citados somam-se às horas gastas para a produção do conteúdo.

Os erros e as desculpas de quem copia

  1. a) O fazem por “inocência”: eles acham o seu conteúdo legal e querem divulgar em seus sites e blogs.
  2. b) Dizem que estão lhe fazendo um favor, pois estão divulgando seu conteúdo: é triste, mas já ouvi isso.
  3. c) Acham que estão certos: “se está na internet é pra todo mundo usar e copiar a vontade”. Sem comentários
  4. d) Agem de má fé: a internet tem muita coisa legal, mas infelizmente ainda é espaço de algumas pessoas mal intencionadas.

Independente dos motivos, já vimos aqui porque essa prática é condenável não é mesmo? Portanto, cabe a nós aplicarmos esses princípios na produção de conteúdo dos nossos blogs e divulgar as boas práticas para todos. Você pode começar compartilhando esse texto nas redes socias!  😉

Meu texto foi plagiado: o que eu faço?

Passado o momento de raiva e indignação por ver suas horas de trabalho em outro site sem a sua autorização, você pode tomar algumas medidas. A lista abaixo é uma sugestão de como eu já lidei e lido com o plágio de meus textos.

1 – Entre em contato com a pessoa que copiou o texto: o primeiro princípio é o da presunção da inocência. Penso sempre que a pessoa fez “sem querer” ou sem imaginar as consequências do plágio. O contato deve ser educado e esclarecedor. Eu peço para a pessoa citar apenas um trecho e colocar o link para a leitura na íntegra do meu blog. Assim, quem se interessar será direcionado para o produtor do conteúdo.

2 – Exponha o caso para seus leitores: Caso a medida não funcione e a pessoa se recuse a retirar o conteúdo, é hora de esclarecer as coisas. Explique a situação para seus leitores, seja através de um post, ou das redes sociais do seu blog. Sua comunidade de leitores é fiel e certamente repercutirá o caso, muitas vezes “boicotando” o autor do plágio. Seja ponderado

3 – Denuncie ao Google: se você infelizmente chegou a esse ponto extremo, o Google possui uma ferramenta onde você requisitar a Remoção por violação de direitos autorais (clique aqui para conhecer).

Eu vi um conteúdo muito interessante da internet e gostaria de divulgar no meu blog. Como fazer?

Eu evito essa situação sempre que posso. Mas algumas vezes vemos reportagens, conteúdos de outros sites e blogs que achamos interessantes e queremos abordar também em nossos blogs. É hora mais uma vez do momento “dicas”. Veja como proceder:

1 – Peça autorização: A primeira coisa é entrar em contato com a pessoa que produziu o conteúdo. Diga a ela que gostou do conteúdo e peça a sua autorização para utilizar em seu blog.

2 – Não copie, escreva sobre o assunto: caso ela autorize, mesmo assim, você não deve copiar o conteúdo na íntegra, pois além de correr o risco de punição, como já vimos aqui, não é uma coisa legal de se fazer. Eu costumo fazer da seguinte forma: produzo um texto, com minhas próprias palavras, abordando aquele assunto ou conteúdo.

3 – Cite um trecho e chame a leitura para o artigo original: depois do meu texto, eu separo uma citação de no máximo 2 parágrafos do artigo que gostei. Após a citação eu escrevo: “Leia a reportagem/artigo na íntegra no site x [link para o site x]”. Dessa forma, você informa o seu leitor e o instiga a visitar o site original que produziu o conteúdo.

Veja nesse link uma aplicação das dicas acima.

Então é isso. Espero ter contribuído de alguma forma sobre o assunto e que as dicas possam ser úteis. E você também pode contribuir contando pra gente alguma a sua experiência sobre o assunto.

E lembre-se: Investir em conteúdo próprio e de qualidade é o melhor caminho para o crescimento do seu blog.

 

* André Schetino é editor do blog Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta, integrante da RBO

Deixe uma resposta